Complexo do Quadril #07

A cabeça do fêmur, seu colo e sua diáfise formam um falso suporte, se aplicarmos uma força vertical, esta tem uma tendência a cortar caminho não pelo colo do fêmur mas o ideal mecânico seria algo similar a uma mão francesa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para compreender melhor o eixo mecânico do membro inferior vemos neste desenho, que as três articulações deveriam estar o mais precisamente alinhada, observamos neste esquema que o eixo mecânico não coincide com o eixo vertical.

 

Para evitar fraturas mecânicas, por estresse, a extremidade superior do fêmur possui uma estrutura visível sobre um corte vertical do osso seco, que podemos ver como as lâminas de osso esponjoso, divide-se e dois sistemas de trabéculas que correspondem às forças mecânicas, formado por dois feixes principais o Leque de Sustentação e o  feixe Arciforme de Gallois e Bosquette.
 

 

 

 

 

Devemos destacar três pontos importantes: 

 

1 - Na região trocanteriana se constitui um sistema de quase como uma abóbada formada por dois arcos vindos da diáfise para o trocanter e outro em direção ao colo do fêmur, esta estrutura perde densidade com a idade em sua região central com o avançar da idade, a região que mais perde densidade é a que vai em direção ao colo do fêmur.

 

2 - No colo e na cabeça do fêmur constitui-se outro sistema em abóbada, pela convergência do feixe de Gallois e Bosquette e do leque de sustentação, quando estes feixes se comunicam ocorre uma zona mais densa chamada de núcleo da cabeça, este sistema apoia-se em uma zona extremamente sólida, a parte inferior do colo do fêmur.

 

3 - Entre estes dois sistema existe uma zona de menor resistência, onde a osteoporose senil transforma-a em uma zona de risco para fraturas, é a região cérvico-trocanteriana, ou a junção do colo do fêmur com os trocanteres. 

 

Na região da pelve, no osso ilíaco, existem dois sistemas muito importantes, um que corre em direção ao fêmur e outro que corre em direção ao ísquio:

 

 

 

1 - Este sistema ocorre da superfície superior da articulação do fêmur com o sacro e desce em direção à incisura ciática e colo do fêmur.

 

2 - O segundo sistema inicia-se na parte inferior da superfície articular do ilíaco com o sacro e expande-se em direção ao acetábulo onde suas trabéculas seguem em direção ao leque de sustentação.

 

As trabéculas que sustentam o corpo na posição sentada originam-se na região sacro isquiáticos e descem até o ísquio cruzando com trabéculas que originam-se ao redor do acetábulo.

 

No próximo artigo vamos debater sobre o labrum e o ligamento redondo, até lá.

Please reload

Exercícios& 
Fisioterapia Vol 1 & 2
Últimos Artigos

April 22, 2020

February 26, 2020

February 18, 2020

February 10, 2020

Please reload

Participe da Lista de e-mails
Categorias
Contato

© 2014 by Fisioterapeuta Lucas Job 

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Entre em contato comigo por aqui

terei prazer em responder a qualquer 

dúvida

Visite nossas redes sociais: