Exercícios& 
Fisioterapia Vol 1 & 2
Últimos Artigos
Participe da Lista de e-mails
Categorias

Complexo do Ombro #12

Os movimentos reais da Articulação escapulotorácica


Anteriormente descrevemos movimentos elementares da articulação escapulotorácica, mas os movimentos desta articulação não são dependentes apenas de um movimento isolado desta e sim da combinação dos movimentos com o úmero, ou seja os movimento como a abdução, rotação e/ou flexão devem ser levados em consideração na análise combinatória d graus de movimento.


Os estudo de J.Y. de la Caffière e publicados em livro de 1975. (Prothèse totale d'épaule, bases expérimentales et premiers résultats cliniques. Vol IV, No.5, 1975, Editions INSERM, Paris) onde este foi um dos primeiros a utilizar radiografias para verificar os movimentos da escápula em diferentes posturas em movimentos reais, desta forma eles puderam observar o acrômio, o processo coracoide e a glenóide durante a Abdução ativa do ombro.


Inicialmente do 0° até os 90° de abdução a glenóide tende a se deslocar para posterior um ângulo de aproximadamente 10°, o que após os 90° tende a recuperar a orientação e se angular para superior mais de 6°.


Esse deslocamento da glenóide é complexo e ocorre de tal maneira que a tuberosidade maior do úmero “escapa” pela frente do acrômio para deslizar para baixo do ligamento acrômio-coracoide.


A cintura escapular realiza uma elevação de aproximadamente 8 a 10 centímetros, em alguns casos com deslocamento anterior somado a translação lateral.


Durante o movimento de abdução ocorre ainda uma báscula lateral de aproximadamente 38°-42° de forma linear porém maior após os 60° de abdução. Após os 120° de abdução ocorre também uma rotação angular tanto na articulação escapulo-umeral quanto na escapulotorácica.


A báscula da escápula é um movimento, que ocorre em um eixo em deslocamento, oblíquo, de medial para lateral, de posterior para anterior, deslocando o ângulo inferior da escápula para anterior e superior, enquanto a espinha da escápula se desloca para posterior e inferior.


Mesmo considerando que não haveria movimento de báscula até 60° em certos casos o movimento da escápula pode já iniciar antes e chegaria até 20°, de forma aceitável, mas poderíamos suspeitar de uma tensão aumentada em redondo maior.


Para uma discussão mais didaticamente correta, aos olhos da cinesiologia da graduação, vamos considerar que a abdução possui três fases.




A primeira fase da abdução 0-90°


Os músculos motores no úmero são o deltoide e o supra-espinhal, a Abdução se inicia de fato na articulação escapulo-umeral, sendo a primeira fase finalizada aos 90°, quando a articulação iria bloquear o movimento devido ao impacto da tuberosidade maior do úmero contra a margem superior da glenoide e acrômio. Então ocorre juntamente um movimento de rotação externa que já comentamos em outro momento, quando falamos sobre os eixos de movimento da cabeça do úmero. Esta rotação externa possibilita que a tuberosidade maior do úmero se desloque para posterior e não ocorra o bloqueio, os músculos rotadores externos auxiliam nesse processo (infra-espinhal e redondo menor) por isso lesões nestes músculos podem impedir a Abdução acima de 90°, em outros casos de lesão veremos uma grande elevação da cintura escapular para compensar a falta de rotação, somada ainda a uma inclinação do tronco para o lado oposto ao da Abdução.


Segunda fase da abdução


Esse movimento ocorre a partir de 90° e vai até 150°, como Abdução até 90 graus bloqueia o movimento do úmero,abrir o som só pode continuar a partir desse momento graças a cintura escapular.


Ocorre uma báscula lateral da escápula que posiciona a fossa glenoide para superior. Em um ângulo de 60°, para que a escápula se movimente é necessário um movimento de rotação longitudinal da articulação esternoclavicular do acrômio clavicular amplitude de 30° nesta fase os músculos trapézio superior e inferior trabalham juntos com o serrátil anterior para girar a escápula em seu eixo e permitir o movimento.

O movimento se limita próximo aos 150° por ação de músculos adutores do úmero grande dorsal e peitoral maior, romboides e redondo maior.


Terceira fase da abdução de 150° a 180°


Agora é necessário o movimento da coluna vertebral para chegar ao ápice da posição vertical, se realizarmos um movimento com apenas um braço é necessário apenas contração dos músculos espinhais do lado contrário para a inclinação do tronco chegada do movimento a 180°.


Caso os dois braços realizem abdução total, poderíamos observar um aumento da lordose lombar dependente dos músculos espinhais.


Fases da Abdução na realidade


Ouvir a mente que a descrição das três fases da abdução é meramente esquemática, visto que na realidade as participações musculares estão inter… melhor correlacionadas, em um encadeamento íntimo, é natural observar que a escápula inicia o seu movimento de bascula mesmo antes do membro superior chegar a abdução de 90°, igualmente a coluna vertebral inicia sua inclinação antes mesmo da produção de 150°, no final do movimento de abdução, todos os músculos estarão contraídos simultaneamente.




Contato

© 2014 by Fisioterapeuta Lucas Job 

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Entre em contato comigo por aqui

terei prazer em responder a qualquer 

dúvida

Visite nossas redes sociais:

Nome *

Email *

Assunto

Mensagem